Arquivos do Blog

Inspiração!

Para você designer um site ótimo para se inspirar!

http://www.welovecss.net/

Não são Templates, nem sites prontos, são idéias!

Anúncios

Comércio eletrônico no Brasil movimenta 8,2 bilhões de reais em 2008

O comércio eletrônico brasileiro movimentou 8,2 bilhões de reais no ano de 2008, segundo balanço prévio divulgado pela consultoria e-bit. O número representa um aumento de 30% em comparação ao faturado pelas operações brasileiras de e-commerce no Brasil durante 2007, quando foi registrada receita de 6,3 bilhões de reais.

Segundo a consultoria, o tíquete médio do brasileiro em 2008 foi de 328 reais, com destaque óbvio para o período de compras natalinas, onde o tíquete médio de 346 reais por consumidor eletrônico fez com que o setor movimentasse 1,25 bilhão de reais.
Para 2009, o e-bit prevê que o setor movimente 10 bilhões de reais, o que representaria uma alta de 20% a 25% – dez pontos percentuais de crescimento na comparação com 2008, valor considerado bom pela e-bit frente à crise econômica mundial.

Entre os motivos que impulsionaram o e-commerce brasileiro durante 2008 mesmo com a freada da economia mundial estão a crescente profissionalização das lojas, o maior conhecimento do brasileiro sobre as vantagens de compra online e a entrada de tradicionais player no comércio eletrônico. A versão final do relatório com dados sobre o comércio eletrônico brasileiro da e-bit, chamado de WebShoppers , será publicado na primeira quinzena de fevereiro.

Fonte: IDG now

Brasileiro passa mais de 24 horas por mês na internet

O brasileiro passa, em média, mais de um dia por mês navegando na internet, segundo revelou pesquisa Ibope//NetRatings. De acordo com o levantamento, divulgado em janeiro, o tempo de navegação por pessoa em outubro foi de 24 horas e 41 minutos. O resultado representa um aumento de 4,7% em relação a setembro e de 6,4% na comparação com outubro do ano passado.

Entre os dez países pesquisados no estudo, o Brasil é o que apresentou o maior tempo de navegação, em média. Segundo o levantamento, os países que mais se aproximaram do Brasil em tempo individual de navegação foram a França, que chegou a 23 horas e 10 minutos, e o Reino Unido, com 23 horas e 4 minutos. O número de internautas residenciais ativos em outubro foi de 24,4 milhões de pessoas, número 3,0% menor do que o de setembro, mas 19,1% superior ao de 19,9 milhões registrado em outubro do ano passado. Já o número de pessoas que moram em residências onde há pelo menos um computador com acesso à internet foi de 36,3 milhões em outubro, mesmo resultado de setembro.

Já o número de pessoas com 16 anos ou mais e acesso à internet em todos os ambientes, como residência, trabalho, biblioteca ou lan house, subiu de 42 milhões no segundo trimestre para 43,1 milhões no terceiro trimestre do ano.

Os sites de relacionamento foram os campeões de audiência em outubro, segundo a pesquisa. “Em outubro de 2008, a participação de redes sociais, blogs, fóruns e outros sites de grupos de interesse foi de 34,5% do tempo total navegado”, informou José Calazans, analista de mídia do Ibope//NetRatings.”Mas, neste momento, também cresce o tempo por pessoa em sites de vídeos, e-mail, buscadores, serviços de armazenamento de dados, notícias e games”, ressaltou.

O levantamento mostrou que as categorias que tiveram o maior aumento porcentual de audiência entre setembro e outubro foram “Ocasiões Especiais”, com alta de 4,2%, e “Finanças e Investimentos”, com avanço de 3,5%. A crise financeira elevou a procura por sites de notícias e informações sobre economia e finanças para 11,6 milhões de usuários únicos – um crescimento de 12,4% desde setembro e de 23,8% desde agosto.

A audiência de sites de notícias em geral também cresceu em outubro, por conta da busca por informações sobre os resultados das eleições municipais, revelou a pesquisa. A audiência da subcategoria “Eventos Correntes e Notícias Globais” subiu de 12,8 milhões de usuários únicos em setembro para 13,5 milhões em outubro.

No acumulado de 12 meses, as categorias que mais cresceram foram “Viagens e Turismo”, com alta de 33,4%, seguida por “Automotivo”, com expansão de 26,9%, “Notícias e Informações”, com aumento de 25,7%, e “Finanças e Investimentos”, com expansão de 24,2%.

Fonte: Estado de São Paulo

Internet tem 174 milhões de domínios

A internet fechou 2008 com 174 milhões de endereços registrados globalmente, com crescimento de 19% em comparação com os números do ano anterior. A constatação vem do “Dossiê Sobre a Indústria de Domínios na Internet”, realizado pela VeriSign no último trimestre de 2008.

O estudo mostra que a base de Domínios de Primeiro Nível com Códigos de Países (ccTLDs) registrados totalizou 68,9 milhões de domínios, um aumento de 5% de um trimestre a outro e de 26% de um ano a outro.

O Brasil subiu da décima para a oitava posição do ranking de países com a terminação “.br”.  Já a Austrália (.au), entrou pela primeira vez entre a lista dos dez maiores, desbancando a Suíça (“.ch”).

Outra revelação do relatório é que quatro dos 25 maiores ccTLDs – .eu (União Européia), .kr (Coréia do Sul), .es (Espanha) e .tv (Tuvalu) – apresentaram taxas de crescimento superiores às do segundo trimestre. Os demais mostraram taxas de aumento  estáveis ou mais baixas no ultimo trimestre em comparação ao período anterior.

Ao final do terceiro trimestre, a base total de nomes de endereços .com e .net era de 89,4 milhões de nomes de domínios registrados. A base total ajustada desses domínios aumentou em 16% de um ano para outro.

No Brasil, a base de domínios .com e .net registrados cresceu para cerca de 520 mil domínios no terceiro trimestre de 2008, o que representou um aumento de 24% em comparação ao mesmo período de 2007 e oito pontos percentuais acima do crescimento mundial.

Fonte: AdNews

Consumo de notebooks deve crescer 140%, em 2008

O mercado brasileiro de notebooks deve continuar aquecido nos próximos anos, mesmo com os rumores de que a economia brasileira sofrerá com a crise financeira mundial. De acordo com o último relatório da IDC, fechado antes do estouro da crise, o segmento continua a dobrar de tamanho no País. “Frente ao atual cenário macroeconômico o crescimento deve ficar, em 2009, perto de 95%”, diz Luciano Crippa analista de PCs e impressoras da consultoria.

A previsão era que, em 2008, o País fechasse o ano com 160% de aumento na comercialização de notebooks, mas diante da retração do mercado, o Brasil deve encerrar com aumento de 140%.

O cenário positivo brasileiro tem atraído fabricantes internacionais e locais a investirem no produto. De acordo com Crippa, hoje, cerca de 30 players negociam laptops no País. “Em seis anos esse número deve cair pela metade”, afirma, e explica que tal ocorrência é natural no mercado, uma vez que o segmento de notebooks passa por um processo de consolidação no Brasil.

Fonte: Reseller Web

Apple ameaça fechar sua loja de música

Seis centavos de dólar ameaçam o império da loja virtual de músicas iTunes. A Comissão de Direitos Autorais (CRB, na sigla em inglês) dos Estados Unidos estuda se eleva de 9 para 15 centavos de dólar a taxa que deve ser repassada aos editores e autores pela venda das músicas digitais. Caso seja estabelecido o aumento, a Apple já ameaçou fechar o iTunes.

Líder absoluto no mercado de venda de música on-line, o iTunes cobra 99 centavos de dólar por cada faixa baixada. Estima-se que 70% dessa porção fique com as gravadoras, que, por sua vez, repassam 9 centavos para os artistas. E é o aumento desse repasse que a Apple alega ser inviável. Segundo a empresa de Steve Jobs, se a taxa for elevada 66%, como pretende a Associação Nacional de Editores de Música, a loja virtual deixará de ser lucrativa.

A ameaça da Apple foi feita no ano passado, mas voltou à tona com a reunião da CRB. “Se [a loja virtual iTunes] for obrigada a absorver qualquer aumento das taxas de royalties, o resultado seria aumentar significativamente a probabilidade de o serviço operar no prejuízo – o que é não é uma alternativa de forma alguma”, disse o vice-presidente da Apple para o iTunes, Eddy Cue, em nota enviada para a comissão em abril.

Cue não se limitou a justificar a resistência da companhia em aceitar o aumento da taxa. “A Apple tem repetidamente deixado claro que está neste negócio para fazer dinheiro e que provavelmente não continuará a operar [o iTunes] se não for possível fazê-lo de forma lucrativa”, ameaçou. É difícil acreditar, no entanto, que antes de decidir fechar o iTunes, a Apple não considere outras alternativas, como simplesmente aumentar o preço de cada download para 1,05 dólar.

Fonte: Veja.com

Wal-Mart parte para varejo on-line no Brasil em plano de expansão

A maior rede de varejo do mundo, a Wal-Mart Stores, lançou nesta quinta-feira um site de comércio eletrônico, na expectativa de ampliar seu alcance no Brasil em um momento de forte aumento na demanda dos consumidores.

A entrada da companhia no varejo on-line brasileiro é parte de uma agressiva estratégia de expansão no maior país da América Latina, onde a rede norte-americana está investindo milhões de dólares e obtendo taxas de crescimento de suas vendas duas vezes maior do que o apurado nos Estados Unidos.

“O Brasil é um mercado estratégico para o Wal-Mart e estarmos em comércio eletrônico é uma parte importante de nossa estratégia de crescimento aqui”, disse Héctor Nunez, presidente-executivo do Wal-Mart no Brasil.

A rede, que abriu sua primeira loja no país em 1995, em São Paulo, tem atualmente 322 lojas em 17 Estados brasileiros.

A companhia espera abrir mais 24 lojas no Brasil até o final deste ano, que são parte de 1,2 bilhão de reais em investimentos programados para o ano. Em 2009, a empresa planeja investir 1,8 bilhão de reais na abertura de 80 a 90 lojas.

O Wal-Mart investiu 25 milhões de reais no desenvolvimento do site de varejo on-line, www.walmart.com.br. Nunez afirmou que o site oferecerá os preços mais baixos entre os varejistas eletrônicos do país, que tem registrado crescimento do comércio digital de mais de 30 por cento nos últimos anos.

Perguntado se a possibilidade de uma redução no ritmo de crescimento do Brasil poderia ameaçar os planos de expansão da empresa no país, Nunez afirmou que a companhia tem confiança de que seu modelo de preços baixos continuará atraindo consumidores.

“Continuaremos com nosso plano de expansão e vamos continuar investindo no país”, disse o executivo. “O consumo ainda está crescendo e com isso nossas vendas também.”

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 1,6 por cento no segundo trimestre em relação aos três primeiros meses do ano e 6,1 por cento em relação ao mesmo período de 2007. Analistas acreditam que a economia poderá crescer mais de 5 por cento este ano.

CONCORRÊNCIA

O site do Wal-Mart vai competir com rivais estabelecidos há anos no varejo eletrônico brasileiro. Entre eles, o Extra.com.br, do grupo Pão de Açúcar, que anunciou também nesta quinta-feira serviço de entregas expressas.

A empresa pretende investir 40 milhões de reais na área de comércio eletrônico até 2010. Segundo a companhia, até o final do ano o site do Extra terá disponíveis 50 mil itens, frente aos 20 mil agora.

O Pão de Açúcar espera que o canal eletrônico mais que dobre sua participação no faturamento do grupo em relação a 2007, quando a fatia do varejo on-line correspondeu a 2 por cento das vendas totais da empresa.

Fonte: Portal Exame

Baixa penetração da banda larga afasta internauta brasileiro de sites multimídia

Os internautas brasileiros visitam sites de multimídia (vídeo, música e outras aplicações com conteúdo de entretenimento) tão freqüentemente como o resto do mundo, mas passam consideravelmente menos tempo nesse tipo de endereço por causa de impedimentos tecnológicos.

O dado faz parte de pesquisa da comScore. “Como um mercado de Internet em desenvolvimento, o Brasil ainda tem relativamente baixa penetração de banda larga, que tipicamente impede períodos estendidos de uso de conteúdo de multimídia por causa de baixa velocidade de download,” diz Alex Banks, diretor da empresa na América Latina.

• Média de minutos por visitante em julho:
Média mundial: 103,8
Brasil: 73,5 (em 32º lugar entre 37 países)

O levantamento da comScore foi feito com internautas com idades a partir de 15 anos, que acessam a Web de casa ou do trabalho.

Dos 20 maiores sites mundiais de multimídia, doze são predominantemente de ‘video-sharing’ e todos eles possuem uma funcionalidade de vídeo. O YouTube é o líder no Brasil, com 11,5 milhões de visitantes em julho, seguido pela Globo Vídeos, com 8,3 milhões de visitantes.

• O ranking por número de visitantes únicos, em julho:
Total da audiência: 25,288 milhões
Multimídia: 16,720 milhões

01. YouTube: 11,549 milhões
02. Globo Vídeos: 5,293 milhões
03. Windows Media: 3,580 milhões
04. MSN Music: 2,053 milhões
05. MSN Vídeo: 1,520 milhões
06. Real Networks: 1,326 milhão
07. Winamp (aplicativo): 1,201 milhão
08. Startvg: 1,142 milhão
09. We Show: 756 mil
10. iTunes Software (aplicativo): 717 mil

Fonte: Cidade Biz

Google planeja usar Orkut em ferramenta de marketing

O Google revelou que traça estratégia de usar informações de sua rede social, o Orkut, como uma ferramenta de auxílio ao marketing on-line. Julio Zaguini, diretor de negócios para o varejo da gigante de buscas, deixou a informação escapar durante um painel realizado em São Paulo, que debatia o futuro do e-commerce.

Questionado sobre a estratégia, o executivo apenas afirmou que existe essa possibilidade de unir o site de relacionamento a ferramentas de marketing para otimizar ações de publicidade direcionada. De acordo com Zaguini, o grande desafio do projeto seria disponibilizar esse produto para os clientes do Google de uma forma adequada e “o menos invasiva possível”.

Sem entrar em detalhes, o diretor diz que não se trata de uma estratégia localizada, mas lembra que recentemente o Google transferiu a equipe de engenharia do Orkut para Belo Horizonte (MG). Dentre os milhões de usuários com perfil onde expõem suas preferências no site de relacionamento, 53,81% são brasileiros.

Fonte: Decision Report

Um quinto das casas no Brasil tem PC com acesso à Internet

Um quinto dos domicílios brasileiros já possuem computador com acesso à Internet, segundo dados do Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) referente a 2007.

De acordo com o estudo, dos 56,43 milhões de domicílios brasileiros em 2007, 11,4 milhões possuem um micro com conexão à Internet, penetração de 20,2%.

Ao se considerar máquinas sem acesso on-line, o número sobe para 15 milhões de lares (participação de 26,6%).

Há um grave problema de distribuição que persiste no setor, com mais da metade dos lares com PCs (8,8 milhões) situados na região Sudeste.

A presença de telefones também cresceu no Pnad 2007, atingindo 77%, ou 43,4 milhões, dos domicílios brasileiros, aumento de 2,5 pontos percentuais em relação ao Pnad 2006.

Segundo o IBGE, por mais que o acesso a serviços fundamentais (como rede de esgoto e energia elétrica) tenham crescido, a posse de equipamentos de comunicação foi o grande destaque do levantamento.

Desde 2002, diz a organização, a posse de telefone celular vem crescendo entre os brasileiros a índices acima dos 15% ao ano.

Lares que contam apenas com telefonia celular atingiram 17,8 milhões, correspondente a 31,6% do total de domicílios – nas regiões Centro-Oeste (42,7%) Norte (39,4%) e Nordeste ( 35,2%), a participação dos celulares é ainda maior.

Fonte: IDG Now