Arquivos do Blog

10 regras para o sucesso!

01. Acredite que você já obteve sucesso antes mesmo de você começar a tarefa. Aja, vista-se e fale não para quem você é agora, mas para quem você quer ser.  

02. Substitua afirmações negativas por frases positivas. Fale para você mesmo:
Eu sou uma pessoa excelente” 
Eu sou um sucesso”

Pratique isto antes de ir deitar todas as noites, e antes de se levantar, todas as manhãs. 

03. Assuma a responsabilidades das suas atitudes e da sua vida. Não se permita culpar os outros pela sua falta de sucesso. Mesmo que um acontecimento possa ter sido causado por outra pessoa, e isto está fora do seu controle, controle sua reação diante do acontecimento. 

04. Pense positivamente sobre todas as suas realizações, não importa quão pequenas elas possam parecer para as outras pessoas. Elas são os seus degraus para o sucesso. 

05. Formule uma missão por escrito e mantenha-a junto com você o tempo todo. 

06. Lembre-se de grandes histórias de sucesso e as dificuldades que essas pessoas tiveram que superar para realizar suas metas. Exemplos como o de Lars Grael, que mesmo perdendo a perna num acidente continuou a praticar exercícios e a competir, fazem os nossos problemas e tribulações parecerem pequenos diante da imensidão deste mundo. 

07. Quando você estiver aceitando um novo projeto, pergunte a si mesmo: 
“Qual é a pior coisa que pode acontecer?”.

08. Permita-se cometer erros. É um componente essencial de crescimento. 

09. Se esforce para ser o melhor que você puder, não o melhor do mundo. Porém, você pode descobrir que um leva ao outro. 

10. Ninguém nasce um ótimo doutor, um excelente advogado ou grande vendedor. Todos nós entramos neste mundo como bebês. Nós nos tornamos alguma coisa baseada nas escolhas que fazemos. Você pode escolher o sucesso.

Prof. Márcio Miranda
Fonte: http://www.sdr.com.br/Ideias/754.htm

Ser ou Não Ser Líder, Eis a Questão

Nem todo mundo nasceu para ser líder. E isso não tem a ver com dom ou qualquer outra prerrogativa de cunho genético ou espiritual. A questão é que há pessoas que simplesmente não querem ser líderes. Agem de forma consciente ou inconsciente contra o papel da liderança. Não se sentem “tocadas” com o espírito da liderança. 

Liderar significa correr riscos. Esta ação gera medo em certas pessoas. Ter de assumir uma posição é algo incômodo, pois gera ansiedade, dúvida, insegurança. Há indivíduos que preservam mais do que tudo sua sensação de segurança e assumir o papel da liderança é exatamente quebrar este equilíbrio. 

Há vários exemplos de pessoas que eram excelentes técnicos, e ao serem içados a uma posição de liderança tornaram-se fracassos absolutos. Como recusar uma promoção? Eis aí um grande dilema para tantas pessoas no mundo corporativo moderno. 

Até o início dos anos 80 era muito presente no ambiente profissional a velha máxima: para ser líder, gerente ou diretor é preciso ter tempo de casa. Dali até os dias atuais vemos cada vez mais este tipo de pensamento e atitude corporativa sendo extinta. No mundo competitivo atual não há mais espaço para protecionismos, mas para competência. 

O grande erro que se cometia era o de promover à liderança aquele mais antigo. Hoje o erro continua, mas de outra forma. Promove-se aquele que é muito competente no que faz. O ponto crucial é a não observação de que há diferenças entre a competência técnica e a competência da liderança. 

Apesar do exercício da liderança exigir método, rotina, conhecimento e outras habilidades técnicas, atuar como líder exige muito mais do comportamento do indivíduo, do que o tempo de casa ou sua capacitação acadêmica e profissional. Por isso, é possível encontrarmos excelentes Engenheiros ocupando o papel de liderança e Administradores e Psicólogos sendo péssimos líderes. Não basta ter a capacitação técnica apenas; é preciso ter o preparo comportamental, mas principalmente a vontade de liderar. É necessário ter identificação com o papel da liderança. Saber que ao assumir esta posição o indivíduo lidará com uma atividade que vai além daquela que aprendeu na universidade. 

Por isso, é preciso ter coragem para liderar. É fundamental que a pessoa faça o exercício solitário de pensar em si como um líder e todas as suas implicações. O que irá ganhar e perder; analisar se está preparado para as novas pressões que irá sofrer e como poderá lidar como elas. Entender que esta nova posição irá exigir muito mais do que conhecimento técnico, mas preparo pessoal para lidar com um fator intangível: o ser humano. 

Não há demérito em não ser líder. Imagine se o mundo fosse repleto de líderes, como conseguiríamos viver? Há espaço para todos, líderes e liderados. Pense em si mesmo e o que te faz bem. Como gosta de trabalhar? Prefere estar à frente de tudo ou executando suas atividades? Gosta de tomar decisões e planejar estratégias ou prefere analisar, pesquisar ou executar o trabalho? Note que é possível agir como um líder em diversas situações do dia-a-dia. A diferença de assumir um cargo ou posição de liderança é que isso será constante, e nem todos se dispõem a assumir este papel. 

A sociedade atual por vezes induz os indivíduos a assumirem uma posição que não lhes diz respeito. Por isso, clarifique para si mesmo o que quer. O que te faz bem. Ao perceber que a atuação como um líder é algo instigante, desafiador, enriquecedor, vá em frente: prepare-se, estude, pratique, mas tenha a humildade para saber reconhecer no meio do caminho se é isso mesmo o que você quer. Há momentos quando precisamos recuar para avançar. Há situações que é melhor esperar, analisar e aprender, para depois seguir em frente. Agora, se perceber que isto não é para você, seja o melhor naquilo que buscar fazer. Sucesso! 

Fonte: Rogério Martins| www.administradores.com.br

Coisa relevante

O Amador trabalha por dinheiro, o Profissional trabalha por Amor.

Se você vai ficar procurando por uma maneira de fazer o cliente pagar menos, é porque eles vão acabar recebendo menos.

Ser Gerente de Clientes é entender que não basta vender. O objetivo é saber o que o cliente faz, como ele faz, quem faz, quando ele faz, onde ele faz e porque ele faz negócios da maneira que ele faz. Ser Gerente

O Gerente de Clientes AJUDA, não vende produtos. O seu preço é um investimento e não um custo. A sua performance é medida pela quantidade e taxa de retorno que o seu cliente teve com a venda, e não com os benefícios do produto. Ele trabalha dentro do cliente como um Aliado, e não de fora como um fornecedor. Ele se relaciona com gerentes e não apenas com o comprador. Ele trabalha idéias de médio e longo-prazo com esses gerentes e não apenas pedido a pedido. O foco do Gerente de Clientes não é o seu concorrente, mas a lucratividade que ele propicia ao seu cliente para que ele seja diferente do concorrente dele.

O Gerente de Clientes é muito mais do que um vendedor, o Gerente de Clientes é um CONSULTOR DE MARKETING que trabalha para o sucesso do negócio dos seus clientes.

Mude o modo de pensar – Você não é vendedor de eletrônicos, você é um Arquiteto do Entretenimento; você não é um vendedor de serviços de contabilidade, você é um Advogado Tributarista; você não é uma vendedora de móveis, você é uma Designer de Ninhos; você não é uma vendedora de computadores, você é uma Ativista de Inspiração; você não é um vendedor de roupa, você é um Guru de Estilo de Vida; você não é uma vendedora de produtos para animais, você é uma Médica de Almas; você não é um vendedor de embalagens, você é um Protetor da Natureza; você não é um vendedor de serviços financeiros, você é um Realizador de Metas; você não é um vendedor de serviços logísticos, você é um Transformador de Realidades; você não é uma vendedora de cosméticos, você é Líder da Independência.

Quantos dos seus vendedores não atingiram a meta de vendas nos últimos seis meses? Por que? Qual foi a maior causa? Qual é o seu plano para assegurar que isso não vai se repetir esse semestre? Qual é o tipo de plano de desenvolvimento que você fez para cada vendedor? Como você suporta a sua equipe de vendas? O quanto você investiu em educação nos últimos seis meses? O quanto você gostaria de ter feito? Quando o treinamento acontecer, como você vai medir o progresso da sua equipe?

  1. Preserve os seus clientes com a sua VIDA;
  2. Ajude os seus clientes a prosperar, vender não é preço;
  3. É tempo para educar-se e educar todos a sua volta;
  4. A Barra subiu! Elimine tudo que você não faz com EXCELÊNCIA. Tenha FOCO!;
  5. Quantas pessoas você mantêm contato regularmente? Faça NETWORKING!;
  6. Posicione-se como alguém que quer o MELHOR para a comunidade a sua volta;
  7. CONTEÚDO! Clientes sempre tem tempo para boas idéias;
  8. Seja REVOLUCIONÁRIO! O que vale são as ações!;
  9. Dê para Receber! Invista tempo: PENSE!;
  10. Tenha hábitos positivos e CRIATIVOS;
  11. CONTEÚDO DE NOVO! O que é inesquecível sobre você?;
  12. CONTEÚDO DE NOVO! O que você leu nos últimos 3 meses?;
  13. Aprenda a ser rejeitado. SORRIA!;
  14. TRABALHE enquanto os outros dormem;
  15. O que você fez no pessoal, determina o seu profissional. TENHA UMA ÚNICA MISSÃO!;
  16. Faltam 3 meses para terminar o ano. O que você vai fazer?;
  17. EXECUÇÃO! ACREDITE no que você tem no dia de HOJE;
  18. A RESPONSABILIDADE é toda sua;
  19. Acredite nos BRAÇOS que trabalham, nos CÉREBROS que pensam e nos CORAÇÕES que amam

 As empresas não podem garantir estabilidade de emprego, somente clientes podem.

Fonte: Ricardo Jordão | www.bizrevolutions.com.br